Ministério da DefesaMapa das MissõesLista das MissõesMarinhaExércitoForça Aérea
printBanner
Segunda-feira, 29.05.17 | 18h15
Você está aqui: Home » Notícias »
A A A  Imprimir Imprimir
NoticiasHeader
Força Aérea Portuguesa no Mali
Força Aérea Portuguesa no Mali
header
Receba a nossa newsletter para estar a par de todas as nossas actividades.


CONCURSOS HFAR HFAR - Informação aos Utentes

FRAGATA DA MARINHA PORTUGUESA COLABORA COM AUTORIDADES DE CABO VERDE EM EXERCÍCIO DE EMERGÊNCIA CIVIL


17-04-2017

As Forças Armadas e Proteção Civil de Cabo Verde conduziram entre os dias 11 e 12 de abril, um exercício de apoio a catástrofe e ajuda humanitária com a colaboração da Marinha Portuguesa. O exercício "Salvar Vidas", realizado na  localidade de Pedra Badejo, Ilha de Santiago, contou com a colaboração da fragata Álvares Cabral e da sua Força de Fuzileiros embarcada, que se encontra em missão na região no âmbito da iniciativa Mar Aberto.

A fragata portuguesa embarcou no dia 11, na cidade da Praia, uma força cabo-verdiana constituída por 36 Fuzileiros, com a sua respetiva equipa médica, equipamento e material diverso de apoio a sinistros, para criar uma força conjunta com os Fuzileiros que se encontram embarcados na Álvares Cabral. O navio largou nesse mesmo dia para iniciar as operações ao largo de Pedra Badejo.

O cenário criado para o exercício apresentava uma zona de catástrofe após um sismo de elevada magnitude, que provocou ruturas na barragem de Poilão e consequentes inundações e enxurradas ao longo da Ribeira Seca até ao povoado da Achada Igreja, afetando seriamente a população local, algo passível de ocorrer naquele arquipélago com elevada atividade sísmica e vulcânica.

Uma força combinada de 72 militares (34 fuzileiros cabo-verdianos, um médico e 37 fuzileiros portugueses), e respetivo material de apoio, foi projetada a partir da fragata para o local com recurso a botes, tendo desembarcado em zona de praia. No local já se encontravam elementos das Forças Armadas e Proteção Civil de Cabo Verde, tendo rapidamente sido constituído um posto de comando conjunto para a coordenação das operações, e reforçado o dispositivo médico que se encontrava instalado no local.

 Além das diversas ações de treino conjunto e partilha de conhecimento da Marinha em matéria de apoio a catástrofes, que culminou com um resgate em local de difícil acesso na barragem de Poilão e posterior evacuação para a fragata, foi proporcionado apoio real através de consultas médicas, distribuição de medicamentos e ajuda alimentar à população local, num esforço partilhado entre Portugal e Cabo Verde.

O exercício revelou-se uma excelente oportunidade no âmbito da Cooperação Técnico-Militar entre Portugal e Cabo Verde, através do qual as valências, perícias e capacidade de intervenção dos meios e forças da Marinha Portuguesa, com especial enfoque em missões de natureza de assistência humanitária, foram colocadas à disposição de Cabo Verde.

Terminou assim o empenhamento durante 12 dias da fragata Álvares Cabral em águas de Cabo Verde, com um resultado extremamente positivo, tendo sido realizadas diversas ações de cooperação entre ambos os países, incluindo ações de patrulha marítima conjunta, que resultaram na deteção e detenção pelas autoridades de Cabo Verde de uma embarcação em atividade de pesca ilegal, reforçando assim a presença do Estado  de Cabo Verde nas suas águas de soberania e jurisdição. Durante a estadia foi também apoiada a visita oficial do Presidente da República de Portugal a Cabo Verde, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, e distribuído diverso material recolhido pelos militares da guarnição e pelo Instituto Camões, a quem mais necessitava.

A Álvares Cabral é um navio escolta oceânico do tipo fragata, com 116 metros de comprimento e dispõe de uma significativa polivalência em sistemas de comando, controlo e comunicações, armas e sensores, de grande versatilidade de emprego, elevada sustentação e potencial combatente quando integrado numa força naval.

A fragata Álvares Cabral tem uma guarnição de 135 militares (dos quais 23 do sexo feminino). A bordo encontra-se também embarcada uma força constituída por 50 Fuzileiros, uma equipa  de abordagem, uma equipa de mergulhadores e uma equipa médica.

Top