Ministério da DefesaMapa das MissõesLista das MissõesMarinhaExércitoForça Aérea
printBanner
Sexta-feira, 24.03.17 | 04h13
Você está aqui: Home » Operações » Exercícios » Lusitano
A A A  Imprimir Imprimir
CategoriasHeader
Força Aérea Portuguesa no Mali
Força Aérea Portuguesa no Mali
header
Receba a nossa newsletter para estar a par de todas as nossas actividades.


CONCURSOS HFAR HFAR - Informação aos Utentes

Exercício Lusitano


O LUSITANO é um exercício LIVEX (live exercise), que envolve o Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA), através do Centro de Operações Conjunto (COC), e conta com Forças Navais, Terrestres e Aéreas. O LUSÍADA é um exercício, no âmbito da preparação das Forças Armadas para o cumprimento das missões específicas de apoio à política externa, nomeadamente a proteção e evacuação de cidadãos nacionais em áreas de tensão ou crise.

Este exercício anual desenvolve-se num cenário fictício de evacuação de cidadãos nacionais e, eventualmente, de países amigos ou aliados, com a ativação de unidades pertencentes à Força de Reação Imediata (FRI), operação tipificada, em termos NATO, como Operação de Evacuação de Não-combatentes (NEO). Este tipo de operações, insere-se num plano mais vasto, ao nível nacional, pelo que implica a coordenação estreita entre os Ministérios da Defesa Nacional (MDN), Negócios Estrangeiros (MNE), e Administração Interna (MAI), envolvendo designadamente as estruturas do Conselho Nacional Planeamento Civil de Emergência (CNPCE), Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM). Neste tipo de exercícios Lusíada estão normalmente presentes elementos das referidas entidades o que permite a articulação de procedimentos, como seja a montagem de Centros de Coordenação de Evacuados (CCE).

 


 

EXERCÍCIO LUSITANO 2016LUSITANO 2016 - EXERCÍCIO ANUAL DAS FORÇAS ARMADAS PORTUGUESAS

O exercício Lusitano 2016 (LUS16) iniciou-se a 17 de setembro e termina a 28 de outubro, é um exercício conjunto, da responsabilidade do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA), tendo como finalidade o treino operacional conjunto, envolvendo o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) e os três Ramos das Forças Armadas. A sua realização visa exercitar o Comando e Controlo (C2) das Forças Armadas no planeamento e execução de operações simultâneas, dentro e fora do território nacional, nomeadamente, em Operações de Evacuação de Não Combatentes (NEO), em Operações de Resposta a Crises (CRO) e em Operações de Apoio à Proteção Civil, envolvendo, de forma integrada e convergente, todos os níveis de planeamento e condução de operações.

Lusitano 2016 - 1834

Relevam-se do LUS16 a fase de planeamento que decorreu, entre 17 de Setembro e 07 de outubro, em Lisboa no Instituto Universitário Militar e em Oeiras no CCOM; uma fase de exercício de postos de comando e de projecção das Forças para as diferentes áreas de operações (Ponto de Apoio Naval de Tróia (PANTROIA), Base Aérea N.º 11 (Beja) e Ilha de Porto Santo), de 17 a 23 de outubro; e o teste à plena capacidade operacional e certificação das forças envolvidas, de 24 a 28 de outubro.

O cenário assenta num país fictício a "GABULÂNDIA", caraterizado por problemas económicos, aumento de insegurança, existência de redes de crime organizado associado ao tráfico de seres humanos, tráfico de droga e armas, e suspeitas da exploração de recursos minerais susceptíveis de serem utilizados no fabrico de armas de destruição em massa.

Os principais meios e unidades participantes no exercício são: a estrutura de crise do Comando Conjunto para as Operações Militares (CCOM), os Comandos Operacionais dos Açores e da Madeira, os Comandos e Estados-Maiores da Componente de Operações Especiais e da Força de Reação Imediata, um Destacamento Conjunto da Companhia Geral CIMIC, cinco navios (duas fragatas, um navio reabastecedor, um navio patrulha oceânico, uma corveta), um helicóptero "Lynx", duas companhias de fuzileiros, um destacamento de mergulhadores sapadores, um destacamento de ações especiais, o Comando e Estado-Maior de um Batalhão Paraquedista, duas companhias de paraquedistas, uma companhia de atiradores, um Destacamento de Operações Especiais e quatro aeronaves (um C-130, um C-295, dois F-16). No total, estão envolvidos no exercício cerca de 1300 militares.

 

No âmbito do exercício anual do EMGFA denominado Lusitano 2016, decorreu no dia 25 de outubro a visita de SEXA o Primeiro-ministro, Dr. António Costa, o Ministro da Defesa Nacional, Prof. Doutor Azeredo Lopes, a Secretária-Geral do Sistema de Segurança Interna, Doutora Helena Fazenda, e dos Chefes Militares (CEMGFA, CEMA, CEMFA e VCEME) ao Comando Conjunto das Operações Militares (CCOM) em Oeiras, ao Ponto de Apoio Naval em Tróia (PANTROIA) e, à BA11, em Beja.Visita ao exercício LUSITANO 2016 - 1836

As visitas tiveram a oportunidade de conhecer as valências das Forças Armadas, designadamente no âmbito das Operações de Evacuação de Não-Combatentes, assim como puderam constatar a prontidão e a capacidade de projeção das Forças Armadas para intervirem em qualquer teatro de operações a nível internacional.

 

DVD do Exercício Lusitano 2016


 

Realizou-se no dia 28 de outubro na Ilha da Madeira o Distinguished Visitors Day (DVD) do Exercício anual das Forças Armadas denominado "Lusitano 2016".

Do programa releva-se a apresentação do Exercício no Comando Operacional da Madeira (Funchal) e, posteriormente, uma demonstração de capacidades conjunta dos três Ramos das Forças Armadas, na Ilha de Porto Santo, onde se assistiu à manobra duma Companhia de Infantaria e ao lançamento de Saltadores Operacionais de Grande Altitude, no controlo e na defesa de um ponto sensível, assim como ao desembarque anfíbio de Fuzileiros apoiados por uma corveta e uma parelha de aeronaves F-16. Seguiu-se uma exposição estática, aberta ao público em geral, no centro da vila Baleira de Porto Santo, onde esteve patente uma conjunto significativo de capacidades e meios das Forças Armadas. O exercício permitiu ainda, de forma autónoma, treinar a capacidade de projecção de meios militares do continente, num eventual reforço do dispositivo militar dos arquipélagos.DVD do Exercício Lusitano 2016  - 1837

Assistiram ao evento o Representante da República para a Região Autónoma da Madeira, Juiz Conselheiro Ireneu Cabral Barreto, o Ministro da Defesa Nacional, Prof. Doutor Azeredo Lopes, a Ministra da Administração Interna, Dr.ª Constança Urbano de Sousa e, os Chefes Militares (General CEMGFA, Almirante CEMA, General CEME e General CEMFA), entre outras altas entidades civis e militares.