Ministério da DefesaMapa das MissõesLista das MissõesMarinhaExércitoForça Aérea
printBanner
Segunda-feira, 20.02.17 | 08h34
A A A  Imprimir Imprimir

Informação Institucional


        O Hospital das Forças Armadas - HFAR

 

1 - O HFAR é um estabelecimento hospitalar militar, que se constitui como elemento de retaguarda do sistema de saúde militar em apoio da saúde operacional, na direta dependência do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA), e constituído pelo Polo de Lisboa (HFAR/PL) e pelo Polo do Porto (HFAR/PP).

2 - Dependem do HFAR:

     a) Os Centros de Medicina Aeronáutica e Subaquática e Hiperbárica;

     b) O Centro de Epidemiologia e Intervenção Preventiva (CEIP);

     c) A Unidade Militar de Toxicologia (UMT);

     d) A Unidade de Tratamento Intensivo de Toxicodependência e Alcoolismo (UTITA).

3 - A estrutura orgânica e a estrutura funcional dos centros e das unidades referidas no número anterior são fixadas por decreto regulamentar.

4 - O HFAR/PL localiza-se no prédio militar sito na Azinhaga dos Ulmeiros, na freguesia do Lumiar, designado por Campus de Saúde Militar.

5 - O HFAR/PP tem a sua localização no espaço físico atualmente ocupado pelo Hospital Militar Regional n.º 1 (D. Pedro V), na Avenida da Boavista, no Porto, doravante designado por HMR1.

 

          MISSÃO

 

O HFAR tem por missão prestar cuidados de saúde diferenciados aos militares das Forças Armadas, bem como à família militar e aos deficientes militares, podendo, na sequência de acordos que venha a celebrar, prestar cuidados de saúde a outros utentes.

 

          ATRIBUIÇÕES

 

a) Prestar cuidados de saúde aos militares das Forças Armadas, independentemente da forma de prestação de serviço e da situação;

b) Prestar cuidados de saúde aos beneficiários da Assistência na Doença aos Militares das Forças Armadas;

c) Colaborar no aprontamento sanitário e apoio aos militares que integram as Forças Nacionais Destacadas ou outras missões fora do território nacional;

d) Colaborar na formação e treino do pessoal de saúde que integra as Forças Nacionais Destacadas e outras missões fora do território nacional;

e) Colaborar nos processos de seleção e inspeção médica dos militares das Forças Armadas;

f) Assegurar o provimento dos quadros técnicos de cuidados diferenciados em ordem de batalha, para efeitos de treino, exercícios e emprego operacional de unidades dos ramos das Forças Armadas;

g) Promover a cooperação e articulação com o Serviço Nacional de Saúde (SNS);

h) Assegurar ao pessoal de saúde as condições necessárias ao ensino, formação e treino pós-graduado e à formação em contexto de trabalho, na vertente hospitalar;

i) Apoiar ações de formação e de investigação e cooperar com instituições de ensino nestes domínios;

j) Articular com as estruturas do SNS e com as autoridades de proteção civil as modalidades de resposta às situações de acidente grave ou catástrofe;

k) Promover a cooperação com estabelecimentos de saúde de países terceiros, principalmente no espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.  

 

          DIREÇÃO

 

1. A direção é composta pelos:

a) Diretor do HFAR;

b) Diretor clínico;

c) Subdiretor para o HFAR/POLO LISBOA;

d) Subdiretor para o HFAR/POLO PORTO.

2. No âmbito da coordenação técnica da atividade de enfermagem, a direção é coadjuvada pelo enfermeiro coordenador e pelos enfermeiros coordenadores adjuntos, que dependem funcionalmente daquele.

 

 

Hieráldica

 

     O novo brasão tem por símbolo principal um leão-marinho alado, capaz de se movimentar em terra, no ar e no mar, constituindo, por isso, uma figura que evoca os três ramos das Forças Armadas. Empunha na garra uma vara de esculápio, sendo esta o símbolo tradicional da medicina.

     Este brasão oficial foi declinado em vários modelos heráldicos, compostos pelo brasão e estandarte oficiais do HFAR, e pelo brasão e galhardete oficiais do Diretor daquela instituição.

     Este conjunto heráldico, tem por divisa a frase "Que glória alcance por saber cuidar", enaltecendo assim todos aqueles que estão envolvidos na superior missão de tratar as vidas humanas.

 Diário da República, 2ª série - Nº43 - 1 de março de 2013 - Despacho nº 3302/2013 - MDN