FACEBOOK OficialHospital das Forças ArmadasLista das MissõesMarinhaExércitoForça Aérea
printBanner
Segunda-feira, 25.03.19 | 10h05
Você está aqui: Home » Notícias »
A A A  Imprimir Imprimir
NoticiasHeader
Militares do Exército da Força de Reação Rápida na operação da NATO “Resolute Support Mission”
Militares do Exército da Força de Reação Rápida na operação da NATO “Resolute Support Mission”
header
Receba a nossa newsletter para estar a par de todas as nossas actividades.


Linha de Apoio EMGFA

Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné


4-06-2018

O navio patrulha “Zaire” da Marinha Portuguesa, em missão na área de São Tomé e Príncipe visitou a Nigéria para participar, entre o dia 28 de maio e 1 de junho, no exercício internacional organizado pela Marinha da Nigéria "Eku-kugbe18", que tem como objetivo promover a cooperação e a interoperabilidade entre as marinhas e as Guardas-costeira dos países do Golfo da Guiné e nações amigas face, face ao acréscimo de atividades criminosas que têm vindo a acontecer nesta região, onde se destacam os atos de pirataria, tráfico de droga e pesca ilegal e abusiva dos recursos marinhos.

Este exercício, cujo nome, no dialeto da Nigéria, significa cooperação e trabalho de equipa, juntou ainda mais de 15 navios de várias Marinhas, desde a Nigéria, Camarões, Gana, Togo, França e China, tendo envolvido igualmente uma aeronave de asa fixa e dois helicópteros da Marinha Nigeriana

Entre os exercícios realizados, destaca-se a simulação de resgates de navio mercantes sequestrados por piratas e a apreensão de embarcações de pesca em atividade ilegal.

Durante o período de navegação, o navio português embarcou elementos da futura guarnição da Guarda-costeira Santomense, que aproveitaram para adquirir experiência e treino interno.

Existiu ainda oportunidade para o navio atracar no porto de Lagos na Nigéria, onde contou com a presença do Embaixador de Portugal na Nigéria e do Comandante Naval da Marinha Portuguesa. Posteriormente regressou às águas de São Tomé e Príncipe onde prossegue a sua missão de capacitação da Guarda-costeira Santomense.

Segundo dados oficiais da Organização Marítima Internacional (International Maritime Organization) e da União Europeia, o Golfo da Guiné em 2017 ocupou o 2º lugar no mundo entre as regiões marítimas mais afetadas pela pirataria e roubo armado, registando 23% dos ataques em todo o mundo (o Mar da China ocupa o 1ª lugar do ranking mundial entre os estados costeiros mais afetados por este flagelo).

De 1 de janeiro até à data de hoje ocorreram 70 ataques a navios no Golfo da Guiné, 47 dos quais ao largo da Nigéria, tendo 118 pessoas sido feitas reféns, um numero que já ultrapassa em muito o registo total de 2017 (85 pessoas reféns).

No período homólogo em 2017 foram registados metade dos ataques (32) e um número significativamente inferior de reféns (35). 

O Golfo da Guiné ocupa o 1º lugar do ranking mundial dos ataques em alto mar, representando 50% dos ataques em todo o globo.

Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné2 - 2408
Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné3 - 2409
Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné4 - 2410
Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné5 - 2411
Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné6 - 2412
Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné7 - 2413
Navio patrulha português visita Nigéria para estreitar cooperação no combate à pirataria no Golfo da Guiné8 - 2414

Top