FACEBOOK OficialHospital das Forças ArmadasLista das MissõesMarinhaExércitoForça Aérea
printBanner
Domingo, 26.05.19 | 16h27
Você está aqui: Home » Notícias »
A A A  Imprimir Imprimir
NoticiasHeader
Militares do Exército da Força de Reação Rápida na operação da NATO “Resolute Support Mission”
Militares do Exército da Força de Reação Rápida na operação da NATO “Resolute Support Mission”
header
Receba a nossa newsletter para estar a par de todas as nossas actividades.


Linha de Apoio EMGFA

Fuzileiros participam no maior exercício de Operações Especiais do Leste da Europa


19-06-2018

A Força de Fuzileiros da Marinha portuguesa, em missão na Lituânia, participou, através de uma equipa do Destacamento de Ações Especiais (DAE) do Corpo de Fuzileiros, entre 21 de maio e 8 de junho, no maior exercício de Operações Especiais do Leste da Europa, “Flaming Sword 2018”, na Lituânia.

Esta equipa de Fuzileiros desenvolveu ações num cenário realístico, complexo e exigente, em contexto de guerra híbrida e de conflito armado, em conjunto com outras nações aliadas, de forma autónoma, integrando ainda elementos nos vários níveis do planeamento, controlo e execução.

Esta participação autónoma do Destacamento de Ações Especiais da Marinha é fruto do rigoroso cumprimento dos mais elevados padrões de exigência, que permitem acompanhar a vanguarda e manter atualizadas as táticas, técnicas e procedimentos em ações de operações especiais. 

Os exercícios da série “Flaming Sword”, um dos mais prestigiados exercícios de operações especiais do leste da Europa, decorrem anualmente na Lituânia desde 2012 e integra o Exercício “Trojan Footprint” que é organizado pelo comando europeu das operações especiais norte-americanas, cuja área de execução engloba os estados do Báltico e da Polónia, tendo assumido maior relevância após a intervenção militar da Rússia em território ucraniano em 2014.

Outro pelotão da Força de Fuzileiros em missão na Lituânia, com valências de apoio de combate e de assalto anfíbio, também participou no “Flaming Sword 2018” como força opositora, com vista a contribuir para alcançar os objetivos de treino das forças de operações especiais.

Top